quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
Home / Uncategorized / Brasil e Argentina tem os smartphones mais caros da América Latina

Brasil e Argentina tem os smartphones mais caros da América Latina

Os telefones que encontramos hoje em geral têm um preço bastante alto, estamos conscientes disso, então, se decidimos comprar um, é porque podemos pagar. De qualquer forma, alguns modelos têm preços proibitivos apenas porque os os fabricantes “exageraram” nos preços.

Antes de falar sobre os preços, devemos comentar sobre a disponibilidade de determinados modelos. Como você sabe, existem muitos modelos que não alcançam o mundo todo, e é algo que não compartilhamos, já que há muitos usuários em diferentes países esperando comprar um determinado celular.

Mas, bem, são decisões dos fabricantes, podemos fazer pouco nesse caso. E quanto aos preços? Começamos com a gama alta, obviamente, e com os smartphones mais caros do mercado. Mas existe uma diferença de preços dependendo do país em que nos encontramos?

Lamento dizer que sim, existe, e também é uma grande diferença. No Android Authority, mostramos um mapa no qual os diferentes países são marcados por cores, no canto inferior esquerdo temos uma legenda para ver a que preço cada cor corresponde.

Para ver a comparação entre diferentes países, utilizou-se os preços de lançamento do Samsung Galaxy S7 Edge e do iPhone 7 Plus. Mas, bem, podemos generalizar com quase todos os fabricantes, uma vez que as diferenças não serão muito diferentes.

Pode-se observar que existem dois países latino-americanos em que os preços dos aparelhos aumentam consideravelmente, são o Brasil e a Argentina. E sim, o primeiro deles é algo mais exagerado do que o resto, no entanto, a Argentina não está muito atrasada com os preços dos smartphones.

No entanto, encontramos outros países de língua espanhola que também têm seus preços um pouco altos. Nos referimos a países como o México e o Chile, onde conseguimos verificar que eles geralmente são mais caros do que no resto dos territórios.

Na verdade, nesses países, a tecnologia tende a ser cara, não a consideramos muito normal, mas, supõe-se que seja pelo custo de colocá-los nesses locais.

Quase sempre o preço de um aparelho telefônico recém lançado é diversas vezes superior ao custo de produção, o motivo disso é porque eles sabem que sempre haverá pessoas que vão aceitar pagar o alto custo da “exclusividade”, e assim a empresa consegue em pouco tempo recuperar o investimento no desenvolvimento do produto. Mais tarde os preços são reduzidos para as margens normais, garantindo um resultado financeiro sempre satisfatório para empresa, a não ser que ele seja um desastre absurdo de vendas.

Mas em muitos casos os aparelhos são vendidos muito acima da margem normal até mesmo fora do período de lançamento, como acontece com aparelhos da Apple, que tem um baixo custo de produção no oriente, mas que não são revertidos em redução no preço final, apenas por uma premissa: Se tem quem compra porque baixar os preços? Tanto é que em países onde os consumidores não aceitam pagar o valor proposto a margem de lucro dessas empresas é reduzido em muito.

No Brasil, onde o consumo de smartphones é altíssimo e não apenas como aparelho de telecomunicação, as empresas não tem interesse em reduzir suas margens e que, segundo nos disseram os proprietários do Hospital Eletrônico, loja especializada em conserto de smartphones no Rio de Janeiro, leva seus proprietários a fazerem a manutenção de seus aparelhos à adquirir outro tão logo quando acontece algum dano.

 

5 (100%) 1 vote

Veja Também

Apple apresentou o iPhone 8, o iPhone 8 Plus e o iPhone X

Há dez anos após o lançamento do iPhone, a Apple apresenta terça-feira o iPhone 8 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *